quinta-feira, julho 28, 2005

Algumas fotos da Mesa Redonda sobre Bolonha


25 comentários:

carvalhohomem disse...

Embora a despropósito destas fotografias, chamo a atenção dos responsáveis do blog para 2 desaparecimentos recentes:

1. O medievista e catedrático de Salamanca ANGEL BARRIOS GARCÍA; morreu em Fevereiro último; podem encontrar-se dados numa pesquisa a partir dos motores CLIX ou SAPO, bem como do «site» da U. Salamanca.

2. No dia 1 do corrente morreu o linguista, arabista, historiador da língua, dicionarista e académico JOSÉ PEDRO MACHADO (n. 1914). Não será difícil a obtenção de mais dados (v.g. no «site» do Centro Nacional de Cultura), com vista a uma eventual evocação no blog.

Com os melhores cumprimentos

Armando Luís de Carvalho Homem.

Alves dos Reis disse...

Grato pela atenção e em especial pela participação neste muito modesto blog.
Como poderá constatar as suas doutas palavras não as levou o vento...

carvalhohomem disse...

Já agora seria bem-vinda uma evocação de LUÍS KRUS (1954-2005), professor catedrático de História Medieval na UNL. Na FL/UP, os Doutores Luís Miguel Duarte e José Augusto Pizarro estão particularmente credenciados para escrever algo a S. respeito.

Com os melhores cumprimentos

Armando Luís de Carvalho Homem.

Alves dos Reis disse...

Mais uma vez uma óptima sugestão. Vou tentar cativar a participação de um dos professores mencionados.
Muito gratos pela indicação.

Gonçalo disse...

O que vos parece a alteração do modelo de avaliação das Universidades, privilegiando a empregabilidade dos cursos ? Acham que esta alteração, influenciada pelo Processo de Bolonha, pode ser a nossa oportunidade, enquanto Homens de História, para demonstrarmos que o nosso saber pode (e deve) ser útil à comunidade em diversos locais da vida pública e privada ? A ver vamos no que isto dá ...

GONÇALO

Anónimo disse...

Olhem só as figuras absolutamente tristes que as expressões faciais de Aurélio de Oliveira e Manuel Loff demonstram. Isto só pode significar demência e senilidade!
Já agora, o Prof. Carvalho Homem merecia uma estátua esculpida pelo João Cutileiro na entrada da Faculdade. Sem dúvida uma eminência parda da intelectualidade portuguesa!

Anónimo disse...

Com tanto tempo já passado em relação ao debate do Processo de Bolonha, e, enquanto a maioria das Universidades e Politécnicos do país adequaram os seus curricula ao novo modelo, a FLUP mais uma vez ficou na cauda do pelotão, e, apenas no próximo ano lectivo adequará os seus cursos ao modelo de Bolonha.
Verdadeiramente inacreditável! Mais uma vez, a FLUP demonstra um total imobilismo e incapacidade para acompanhar as congéneres no esforço comum para a criação de um espaço europeu de ensino superior. Mas o que é que há de se fazer, talvez f..., como diria o cantor portuense Pedro Abrunhosa, curiosamente um antigo diplomado da Casa. Até parece que a letra da canção foi inspirada na FLUP, talvez...!

Alves dos Reis disse...

Neste particular o DH, deu cartas. Ainda no mandato anterior, o Professor Barros Cardoso, foi o nosso representante em debates a nível nacional. Por incrível que pareça, os maiores obstáculos foram levantados pela Universidade Nova de Lisboa, sendo que Coimbra aderiu rapidamente à ideia.
A direcção actual do DH, aproveitou bem a herança recebida e há muito que está preparado para implementar as adaptações necessárias ao Acordo de Bolonha. Não sei quem atrasou a sua implementação, mas sei que não foi a História.

Anónimo disse...

Gostaríamos de saber, por que é que a FLUP e o DH têm que estar á espera de outras Universidades relativamente a este processo. Nunca ouviram falar em Autonomia do Ensino Superior, ao que parece apenas serve para colocar uns quantos cavalheiros no poleiro, para depois fazerem os respectivos fretes aos amigos.
Cada instituição deverá apresentar o seu projecto de adequação curricular ao novo figurino de Bolonha. Por exemplo diversas licenciaturas em Engenharia do Porto já foram alvo de mudança, e por falar na licenciatura em História basta referir o exemplo do ISCTE que já viu aprovado a nova estrura curricular para 6 semesntres, ou seja, trés anos, com os ramos de Gistória Internacional, História Social e Política e História Cultural. A anterior designação da licenciatura era História Moderna e Contemporânea. A Universidade de Lisboa também já adequou a licenciatura em História a Bolonha, tal como a Universidade do Minho.
Todas estas informações, encontram-se disponíveis na página online da Direcção-Geral do Ensino Superior em http://www.dges.mctes.pt/. Vem lá tudo explicado, e com todos os despachos do Ministério a deferir a reformulação dos cursos.
Portanto, a FLUP e o DH em particular deveria ter submetido á apreciação do Ministério a adequação do curso a Bolonha. O Prof. Cardoso, como homem hábil que é atirou as responsabilidades para outras Universidades, manifestando uma profunda cegueira intelectual, para não dizer algo mais contundente, além de afirmar uma mentira ao dizer que a Universidade de Lisboa constituiu um entrave, e pelo que está á vista de todos já adequou a sua licenciatura a Bolonha.
Ora, factos são factos, e encontram-se ao dispor de todos aqueles que desejem verificar a realidade e não discursos falaciosos proferidos por aqueles que não são capazes de mudar o que seja, talvez inspirados em Fidel Castro e noutros cavalheiros de fortes convicções!
Sinceramente, estes senhores além de mentirosos, querem fazer passar por ignorantes os outros. O que isto é, é uma brincadeira de mal gosto, que a breve trecho se pagará muito caro!

Alves dos Reis disse...

Vamos a esclarecer alguns pontos. O Professor Cardoso não mentiu em nada, o que eu vinculei no post anterior foi a minha leitura da situação, após escutar as intervenções dos vários representantes das licenciaturas em História.
Um outro ponto que merece um reparo, diz respeito ao DH, que só não avançou para a proposta de Bolonha, por imposição dos orgãos de gestão superior da FLUP, pois pretendiam que todos os cursos entrassem nos novos moldes ao mesmo tempo. O que eu disse e repito, é que não foi o DH que se atrasou a entregar a proposta.

Anónimo disse...

E, então o que é que os docentes do DH andaram a fazer nos últimos anos em vários órgãos de gestão da FLUP a fazer?

Anónimo disse...

Aliás, continua por explicar os "entraves" colocados pelas Universidades de Coimbra e de Lisboa. Afinal, quem é que manda na FLUP?

Anónimo disse...

Corrigindo, Universidade Nova de Lisboa e não Universidade de Lisboa.

Alves dos Reis disse...

E vai continuar sem explicação. Não tenho as respostas para todas as questões, nem tampouco a presunção de ser dono da verdade absoluta, seja sobre o que for.
Procurei apenas, de uma forma o mais equilibrada possível, compartilhar o que vi, ouvi ou senti na minha passagem pela faculdade, no geral, e pela comissão do DH em particular.

Anónimo disse...

As explicações são exigidas aos docentes, e não aos alunos. Não se percebe por que é que os docentes não intervêm neste Blog. Desconhecem-no, ou não estão interessados em esclarecer as massas?

Anónimo disse...

Pelo que se pode observar, o Prof. Carvalho Homem foi o único que participou activamente, mas apenas para deixar algumas evocações sobre docentes falecidos. Por muito respeito que os referidos merecem, o Prof. Carvalho Homem devia intervir de outra forma, e não transformar este Blog de debate e discussão de ideias num repositório necrológico!

Alves dos Reis disse...

Este Blog não é "O Abrupto", está muito longe de ser universalmente conhecido entre a comunidade docente ou mesmo a discente...

Anónimo disse...

Então os docentes do DH não têm conhecimento do Blog, e os alunos também não? O gestor do Blog como representante dos alunos no DH não fez a devida divulgação?

Alves dos Reis disse...

Mea culpa, de facto não fiz nenhum esforço por tornar este espaço, minimamente conhecido. Se bem que entendo que este espaço seria bem mais interessante se houvesse mais gente envolvida nestes debates, enfim...

Anónimo disse...

Para quem teve responsabilidades como representante dos alunos no DH é sem dúvida um lapso grave! Mas nas runiões da Comissão Executiva o Presidente deverá ter tido conhecimento do Blog, pelo que também tinha a obrigação como dirigente máximo do DH de o divulgar junto dos docentes. Mais uma vez, houve falhas de comunicação, talvez não seja má ideia criar uma Central de Comunicações, semelhante aquela que o antigo Primeiro-Ministro Santana Lopes queria implementar no Governo. Pena é que o Presidente da República tenha impedido o seu estabelecimento!

Alves dos Reis disse...

Ah, ah, ah!

Este lapso foi estratégico, não me sinto muito bem a fazer publicidade a um produto a que estou ligado.
O Blog é conhecido de alguns docentes, mas não estranho nada, que o considerem pouco apelativo, para não dizer nada pior.
Creio que falta de comunicação nunca existiu, fui sempre bem recebido e as poucas sugestões que avancei, encontraram apoio total da Comissão Executiva.
Podem me acusar de ser pouco dinâmico, ou pouco participativo, mas nunca me senti como Santo António com vontade de ir pregar aos peixinhos.

Anónimo disse...

Falha grave para quem deseja uma maior participação da comunidade académica! A não ser que o Blog seja um espaço lúdico!

Anónimo disse...

Pena é que não se saiba quais são as ideias dos docentes relativamente ao processo de Bolonha. Apenas existe aqui um belíssimo texto da autoria de um discente, se calhar com mais masa cinzenta que todo o DH junto!

Anónimo disse...

Ainda a propósito de Bolonha é pena que nenhum docente tenha ainda exposto neste Blog as suas ideias. Bem pelo contrário, houve um aluno que escreveu um belíssimo texto de reflexão sobre esta problemática, lançando algumas pistas para futura exploração.
Que ideias têm os docentes que participaram na Mesa Redonda sobre Bolonha? Seria interessante que as pudessem partilhar, de modo a que as fotografias colocadas tivessem um melhor enquadramento! Os docentes do DH sabem falar, mas parece não saberem pensar, ou têm vergonha de se expressar. Bom, o que é preciso saber é se pretendem aproveitar o Processo de Bolonha para reformularem os cursos verdadeiramente, e não apenas para maquilhá-los através de uma mera alteração de denominação das cadeiras ao estilo Marcello Caetano de "Evolução na Continuidade"!
Seria tal como o "Caetanismo" uma verdadeira Tragédia!

Anónimo disse...

Caso tal não se suceda, finalmente chegará um 25 de Abril ao DH 32 anos depois!